Albuquerque, da Cisco Brasil
Canal de Distribuição, Edição 31

Canal deve transformar negócios

Os negócios no País são 100% pelo canal, que é o nosso braço estendido

Por Edileuza Soares

Tradicionalmente conhecida como fornecedora de sistemas para redes, a Cisco está passando por uma revolução para entregar mais do que infraestrutura para a Transformação Digital dos negócios e quer se destacar também, com soluções de software e serviços. As inovações e estratégias para trilhar esse caminho foram apresentadas ao canal de vendas no Cisco Partner Summit 2019, realizado em Las Vegas, Estados Unidos, de 4 a 6 de novembro. 

Com o tema Own Your Edge, a companhia reforçou que os parceiros são peça-chave nas suas estratégias de crescimento e que obterão vantagens com o movimento da Transformação Digital.

Para injetar ânimo nos parceiros, Chuck Robbins, chairman e CEO global da Cisco mencionou os resultados financeiros do primeiro trimestre fiscal, encerrado em outubro de 2019: a receita líquida foi de US$13,2 bilhões, com crescimento de 2% em relação ao ano anterior. 

Receitas ampliadas

Robbins citou três áreas nas quais os parceiros podem incrementar receita com a revolução tecnológica: ajudar os clientes a repensar os aplicativos e migração para nuvem; transformar a infraestrutura de rede para a Era Digital e levar segurança para o ambiente de TI para proteção dos dados.





Ehalt, diretor de canais Brasil

Agora as empresas precisam de uma arquitetura mais flexível, segura, preparada para permitir o acesso de aplicativos de qualquer lugar e trafegar um grande volume de dados em tempo real. Como exemplo dessa demanda, o executivo citou o avanço da Internet das Coisas – IoT, com previsões para conectar 20 bilhões de dispositivos até 2020.

“Todas as nossas tecnologias foram consolidadas para apoiar as estratégias do cliente na transformação da infraestrutura. Vamos fazer isso junto com vocês”, disse Robbins se dirigindo ao canal. Hoje, os parceiros respondem por mais de 90% da receita global da Cisco.

Software e serviço

Com as aplicações ganhando cada vez mais espaço nas estratégias de Transformação Digital das organizações, a Cisco reforçou seu leque de software e serviços para suportar os novos modelos de negócios. O CEO informou que os negócios com venda de software aumentaram 26% em 2018 e que as assinaturas de soft- ware como serviço – SaaS, cresceram mais de 60%. 

Uma das grandes apostas para elevar esses números são programas de incentivo ao desenvolvimento de software. Um exemplo é a nova certificação DevNet Specialization para atender aos desenvolvedores. A credencial fará parte do programa DevNet, que fornece produtos, plataformas e APIs para empresas que criam aplicações. 

Durante o evento foram apresentadas novas soluções para analisar a performance e segurança das redes corporativas em tempo real, como é o caso da linha Meraki. A empresa ampliou, também, o portfólio de Colaboração para ajudar os CIOs a acelerar a transformação do local de trabalho.

Força no Brasil

Laercio Albuquerque, presidente da Cisco Brasil, disse que a companhia está trazendo um leque variado de soluções para atender as demandas dos projetos de transformação digital. “Hoje a Cisco é uma fornecedora de hardware e serviços, sendo que 65% das vendas são negócios com hardware e os outros 35% são vendas de software e serviços, puxados principalmente pela transformação digital”, explica.





Robbins, CEO global

“Antes a Cisco vendia uma caixa, e agora muitas das soluções são entregues como serviço e de acordo com a necessidade do cliente”, acrescenta Marcelo Ehalt, diretor de canais da subsidiária local. Essa mudança, segundo ele, abre um leque de possibilidades para os parceiros, que precisam ter capacidade para entender o ambiente de rede do cliente e propor soluções sob medida para os negócios dele.

Albuquerque complementa que os parceiros são muito importantes para acelerar a jornada digital dos clientes. “Os negócios no País são 100% via canal, que é nosso braço estendido e, por isso, ajudamos o canal a se preparar para o mercado do futuro”, reforça o executivo. Hoje, a Cisco Brasil conta com os distribuidores: Westcon-Comstor, Ingram Micro e Scansource Network1 e cerca de duas mil revendas ativas

You might also like

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *